terça-feira, 18 de janeiro de 2011

...

Talvez agente se veja na esquina em frente a padaria e,se enxerguem.Talvez você me olhe por dentro como eu sempre te ví. Talvez eu te encontre com dor de cabeça, nariz vermelho,voz rouca,cabelo bagunçado,lindo.Pq ainda não esqueci do lirismo,do samba,nem da proteção.
Que eu não me envolvo tão fácil,ou pelomenos fingo.Minha pupila não dilata nem o coração bate forte,mas isso só quando você tá longe.
Você sempre vai embora e,eu sempre te espero voltar.Mesmo que tarde,com sol indo embora,bonito pra chover.
E talvez seja ritual e eu não tenha nada a fazer pq meu coração não deixa.
Você poderia me amar,eu aceitaria se fosse essa noite.Pq o amor por mais cego que seja é sacana.Dá aquele direito de dizer coisas sem sentido,resmungar ,esmiuçar dialogo.
O real é que você me faz levantar os olhos feito boba,pq é alto e tem furinho no queixo.Possui as sobrancelhas ligadas e,rí com olhos.
Que teu corpo é capaz de ser o embrulho do meu. E talvez novamente eu esteja errada pra caralho,imitando o amor,querendo optar por sentir alguma coisa boa ou não,vai saber.