quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Por quimeras que pareça...

Primeira postagem,com pouco assunto,olhos já pequenos de sono por conta da hora encontrada e dos minutos antes tentando descobrir como fazer(praticamente mais de hora),coisa de iniciante. Contente por ter conseguido fazer um blog(Pq parece fácil mais não é),e saber que vou poder postar o que me interessa e/ou talvez aquilo que não me interessa tambem,depende do contexto.E pra começar (esperando que apartir disso alguém se interesse pelo que eu escrevo,ho ho) vai ai algo de alguem que eu me interesso muito em ler o que escreve:

Quantas esteiras de luz se ascendem quando me tocas?
Milhares de estrelas espetam meus dedos
Rios se perdem deixando em abandono seus leitos.
E um atropelo de veias
Sangue correndo veloz,sem saída.
Tantas farpas me cortam a pele
Tantos frios eriçam meus pêlos quando me tocas...
Eu ardo febril
-tantas chamas-
e tremo de medo
-quantos gelos-
quando me tocas...
Tantas catástrofes
tumultos
revoltas
provocas em mim.
Alteram-se os sais
queimam-se calorias
E quantas loucuras submetes minha química
Quantas queimaduras me causa a tua pele.
A quantos perigos me exponho,quando me tocas...

(Indecências,por Edimar Filho)

2 comentários:

Junior disse...

uuuuuuuuuuu safadinha

Junior disse...

as pespicárcia da capacidade interativa filosófica deste autor chega a prender o leitor do início ao fim!!!